Caramuru pode dar lugar ao ‘Ponta Grossa Vôlei’ para a Superliga B de 2020

Equipe poderá ter nova identidade para disputar a segunda divisão nacional

Caramuru pode dar lugar ao ‘Ponta Grossa Vôlei’ para a Superliga B de 2020

Com a situação ainda a ser resolvida, não está descartada uma mudança de sede da equipe para o próximo ano - Foto: José Tramontin

Com o final conturbado na Superliga A, sendo rebaixado e passando por grave crise financeira, o Caramuru poderá receber uma nova identidade para tentar voltar a elite do vôlei nacional. Tendo o apoio da Prefeitura, a equipe deverá disputar a segunda divisão a partir de janeiro com o nome de ‘Ponta Grossa Vôlei’ e um projeto mais modesto de reestruturação.

“O Caramuru não existe mais. Hoje é o Ponta Grossa Vôlei”, destaca o secretário municipal de Esporte, Marco Macedo. Sob esta alcunha, a equipe disputa o Campeonato Paranaense e enfrentará Palmas na semifinal da competição nesta sexta-feira (25), sem o mando de quadra por ter tido uma campanha inferior à do adversário na primeira fase. Porém, na disputa da Superliga C no início do mês, o time manteve 'Caramuru', nome registrado na Confederação Brasileira de Voleibol (CBV).

Quanto ao futuro da equipe, o secretário tem um posicionamento claro: “A ideia é de montar um time nosso, de Ponta Grossa, começar de novo para poder chegar longe de novo. Isso até para poder tirar esse vínculo que o time tinha com a cidade de Castro”, explica Macedo.

Em setembro de 2017, a Prefeitura fechou contrato de dois anos, podendo ser estendido por mais dois, com a Associação Caramuru Vôlei, que tinha sede em Castro. O acordo previa a cessão da Arena Multiuso para treinamentos e jogos das equipes adultas e de base, tendo como uma das contrapartidas.

Macedo informou que o contrato se estende até o próximo mês e que a renovação está indefinida, deixando em aberto a permanência da equipe na cidade. “Estou pra fazer uma reunião com o Fábio [Sampaio, técnico e gestor do time] e o prefeito, pois no mês que vem acaba o acordo de cooperação com eles. Vamos conversar para ver se será renovado, se eles vão disputar por aqui. A expectativa é que eles disputem por aqui, mas temos muitos detalhes para acertar, como o custo que terão com hospedagem, transporte, como farão para contratar atletas”.

Segundo o secretário, a instabilidade da equipe e a queda para a Superliga B influenciaram no novo rumo que a equipe poderá tomar. “De certa forma, isso influenciou, pois vimos o sucesso que fez a Superliga em Ponta Grossa. A cidade nunca tinha disputado o campeonato, com jogos ao vivo e o 'glamour' que merecia. É uma pena que isso tenha acontecido, mas tenho que entender o lado deles, que tiveram um corte drástico de recursos com o corte de muitos patrocínios de empresas estatais, como a Compagás e a Sanepar. Mas, se tivermos que começar do zero com uma equipe nossa, vamos começar”, relata o representante da pasta, que também fala em um ‘suporte’ para a viabilização financeira da equipe, caso este novo rumo seja oficializado.

O OUTRO LADO
Mesmo com a possível mudança, os responsáveis pela equipe ainda se referem ao time como ‘Caramuru’. O treinador Fábio Sampaio conversou com o NEC e falou sobre o atual momento na competição estadual: “O projeto inicial no Paranaense era estar na semifinal, conseguimos atingir o objetivo e queremos continuar vivos para buscar o tetracampeonato consecutivo”, analisa.

Sampaio afirma que a equipe terá um recesso de 20 dias ao fim do Paranaense para o início do planejamento do campeonato nacional. “Devemos dispensar alguns atletas e trazer peças pontuais que tenhamos condições financeiras de bancar, sem loucura, visto que o Caramuru começa a respirar, começa a sair de uma crise que nos pegou”, detalha.

O técnico, e um dos gestores da equipe, admite a possibilidade de uma nova identidade do time para o próximo ano. “Com toda certeza teremos boas notícias, uma nova formatação do projeto, mas por enquanto estamos com o foco no Paranaense e nesse recesso vamos nos preparar para a Superliga B. Evidente que, internamente, já estamos estudando as mudanças, o layout, nome, os novos patrocinadores, para que o Caramuru volte mais rápido possível a figurar entre os grandes do país”, complementa.

*Com a colaboração de Julio Cesar Prado

Compartilhe essa notícia com seus amigos!