Ex-armador do NBPG, Djair comandará escola de basquete no Rio Verde

Jogador anuncia aposentadoria mas continuará residindo em Ponta Grossa

Ex-armador do NBPG, Djair comandará escola de basquete no Rio Verde

x

Quase três décadas de dedicação ao basquete, 25 anos profissionalmente, fizeram o ex-armador Djair Almeida Paulino deixar de atuar dentro de quadra, mas não deixar o esporte que é a sua vida. Em sua carreira, foram cinco Campeonatos Brasileiros disputados, com o título conquistado no último deles, em 2019, com o Novo Basquete Ponta Grossa. Agora, ensinando novas gerações, o ex-jogador repassará a sua experiência na cidade em que fixou residência.

Djair atuou em quatro estados diferentes e tem 11 títulos estaduais em sua carreira. Foram três conquistas no Esporte Clube União Corinthians (RS) – uma delas sendo MVP, uma em Santa Catarina, uma no Rio de Janeiro e seis no Paraná. As duas primeiras foram em Campo Mourão, cidade em que ainda tem um laço, com seu filho residindo no município. Os outros quatro troféus, o armador ergueu em Ponta Grossa, duas vezes como o melhor jogador, participando do tetracampeonato que consolidou o NBPG como uma das potências paranaenses na modalidade.

“JOGUEI COM OS MELHORES”
O ala Alex Garcia, jogador do Minas e que atuou pela Seleção Brasileira, é um dos companheiros que Djair destaca como um dos melhores com quem atuou em sua carreira. Trajetória essa que começou por influência do irmão, nas quadras do SESI de Ribeirão Preto (SP). Mesmo tendo dividido atenções com outros esportes durante a infância, o basquete ganhou espaço quando a escolha teve de ser feita. Veja mais no vídeo da TV NEC!

O PROJETO
A Escola de Basquete Mãos e Mente será destinada para crianças entre seis e 14 anos de idade, com treinos às segundas, quartas e sextas no Ginásio do Rio Verde em Uvaranas. Djair conta que a ideia para desenvolver esta iniciativa vinha sendo amadurecida desde quando chegou em Ponta Grossa em 2015, quando começou a fazer faculdade de Educação Física – prática comum no NBPG, que alia a formação acadêmica ao desempenho em quadra.

Por isso, não esconde a expectativa para o início das aulas: “Eu estou muito preparado e motivado. Se esse ginásio lotar de criança, eu quero isso. Quero passar pra todos que estou determinado e concentrado naquilo que eu quero. Minha gratidão será no dia em que eu souber que crianças jogaram basquete e falarem que começaram no projeto”.

“Quero fazer um trabalho sério, onde a criança que estará aqui queira jogar basquete e ser um cidadão de bem. O esporte proporciona isso. Não vou chegar aqui, soltar uma bola e vê a criança nem saber fazer uma bandeja e já fazer um jogo. A criança vai jogar quando ela tiver os domínios que o esporte exige. Quando comecei, foi assim também. Vai ter jogo, mas não é todo dia”, explica.

A NBA, liga norte-americana de basquete, voltou a ser transmitida em TV aberta neste ano. O NBB também tem transmissão gratuita, na TV e nas redes sociais. Além disso, o Novo Basquete Ponta Grossa é o atual campeão brasileiro da modalidade. Neste cenário, Djair afirma que os diversos incentivos e espelhos para as novas gerações é importante. Por isso, ressalta a importância da continuidade do projeto.

“O NBPG é uma referência, todo mundo sabe do projeto em Ponta Grossa. É importante ter essa continuidade, pra que as crianças se motivem em saber que podem jogar no time da sua cidade, como eu representei minha cidade de Ribeirão Preto por duas temporadas. Quando você tem o sucesso, fica eternizado dentro da sua cidade”, analisa.

Djair cita o exemplo de Campo Mourão, onde atuou antes de chegar nos Campos Gerais, como um exemplo para Ponta Grossa. “Campo Mourão é da metade dessa cidade. Hoje você vai lá e tem diversos polos espalhados pela cidade, em bairros, colégios. O caminho é longo, mas vale muito a pena. Podemos tirar um monte de criança das coisas ruins que estão na rua”, comenta.

APOSENTADORIA
Djair contou sobre a decisão de deixar as quadras e se emocionou ao relembrar os principais momentos de sua carreira. “Vou sentir falta, mas chega uma hora da nossa carreira que a gente tem que tomar essa decisão. É difícil, é doloroso, mas tinha que tomar e criar outras oportunidades para poder suprir isso. Vou estar dentro da quadra e quero passar muitas coisas legais pra essas crianças”, garante. Confira no vídeo da TV NEC!

Compartilhe essa notícia com seus amigos!