Time de handebol feminino de PG busca apoio para participar de competições

Em 2019, o time foi criado afim de fortalecer a modalidade na cidade

Time de handebol feminino de PG busca apoio para participar de competições

A equipe pretende disputar o campeonato Paranaense, mas depende de ajuda para arcar com custos do time - Foto: Divulgação

Buscando reerguer o handebol na cidade, o time de Handebol Feminino de Ponta Grossa foi reorganizado em março de 2019.  Pouco antes de acabar o prazo de inscrições para o Jogos Abertos, a atleta Raissa Bendix reuniu um grupo de meninas com a intenção de voltar com o time de handebol de Ponta Grossa.  Com o apoio de patrocinadores, as atletas se organizaram e correram atrás de locais para treinamento, treinador, uniformes e inscrições em competições.

A Prefeitura de Ponta Grossa fez a inscrição da equipe nos Jogos Abertos e disponibilizou o transporte das atletas para a competição. Foi cedido um horário semanal no Ginásio Oscar Pereira para treinamentos. 

“Apesar das boas atuações em quadra, e principalmente na vontade de evoluir, temos dificuldade com o financeiro, a prefeitura nos sede apenas local para treinamento, com horários restritos dentro das possibilidades que existem lá, não temos nenhum patrocínio que viabilize transporte, ou alguma ajuda de custo para comissão técnica e atletas, estamos correndo contra o vento neste quesito”, conta Euller Lima, técnico da equipe.

Em 2019, a equipe disputou os Jogos Abertos do Paraná divisão B, ficando na 2ª colocação e a 1ª Copa Pinhão de Handebol, conquistando o 3º lugar. Para participar de um desses jogos, o técnico do time abriu mão de seu salário para pagar a inscrição no campeonato.

“O técnico, conversamos com o Euller Lima, ele nos fez um valor, conseguimos patrocínio e quando fui acertar com ele, ele não pegou tudo, uma parte ele investiu em outro campeonato para que pudéssemos participar. É empenho de todos os lados! ”, explicou Raissa Brendix, atleta do time.

Um dos principais desafios, segundo Raissa, é a vida de adulto. “Eu tenho certeza que todas amam jogar, jogamos representando a nossa cidade, mas ninguém vive disso, não ganhamos nada por jogar, jogamos por paixão mesmo. Temos que conciliar trabalho, estudo, filhos, marido com os treinos, mas com dedicação de cada uma, nós conseguimos grandes resultados”.

A meta para 2020 é trabalhar duro, aumentando as cargas horárias de treino e buscando recursos para material de treino. A ideia é participar do Paranaense de handebol, da Liga Metropolitana e, novamente, dos Jogos Abertos, para tentar uma vaga na divisão A.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!