Prevenção do coronavírus: os principais cuidados com as crianças

Pediatra explica a importantância de higienizar as mãos dos pequenos

Prevenção do coronavírus: os principais cuidados com as crianças

Crianças não estão 'imunes' ao contágio com o coronavírus - Foto: Banco de Imagens

PublicidadeNEC

A pandemia do novo coronavírus tem mais de 3 mil casos confirmados no Brasil, mais de 100 casos no Paraná e três confirmados em Ponta Grossa até este momento. Para evitar a disseminação do vírus e consequentemente a contaminação de mais pessoas é preciso se prevenir. 

Crianças e bebês não são as principais vítimas da COVID-19. Os mais afetados são adultos com mais de 60 anos ou adultos com doenças associadas. Mesmo assim, são necessários cuidados com os pequenos. O pediatra Dr. Celso Hartmann Junior, que tem consultório vinculado com a Planicon Convênios na cidade, explica.

“Atualmente não existe tratamento para o novo coronavírus. Apesar da pouca gravidade dos casos relatados em bebês e crianças, devemos tomar como exemplo a situação atual e iniciarmos um maior cuidado no nosso dia a dia. Um cuidado que deve ser levado como ensinamento para toda a vida”, afirma Celso.

Higienizar as mãos com água e sabonete é o essencial. Para os maiores, é recomendado ainda o uso do álcool em gel. Deve-se também seguir as recomendações dadas aos adultos e idosos e evitar aglomerações de pessoas, principalmente entre as que possuem sintomas de resfriado ou gripe. Crianças com esses sinais também devem evitar contato com outras pessoas mais velhas, até para evitar que se tornem transmissores mesmo sem despertar sintomas específicos da COVID.

Em locais como creches e escolas o cuidado deve ser redobrado. O ambiente deve ser mantido com boa ventilação e evitar o compartilhamento de mamadeiras, chupetas, copos e talheres. Lenços para higiene nasal e fraldas devem ser de uso descartável. Os adultos devem também higienizar as mãos para o manuseio de objetos como esses.

“No momento a melhor arma que temos é a prevenção. A transmissão do vírus ocorre principalmente de pessoa a pessoa, ou seja, através de gotículas respiratórias ou contato com pessoas doentes”, explica.

Os sintomas do coronavírus em crianças e bebês são semelhantes ao de resfriado - febre, tosse, coriza e problemas respiratórios que podem evoluir para um quadro respiratório mais grave. "Em caso de dúvida, antes de consultar o Google, fale com o pediatra de sua confiança. Ele é a pessoa mais indicada para esclarecer com exatidão e segurança suas dúvidas nesse momento que vivemos cercados de informações imprecisas e fontes duvidosas”, recomenda o Dr. Celso aos pais.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!