Clubes elegem empresas que terão direitos internacionais do Brasileiro

Primeira etapa do processo foi concluída, mas a negociação continua

Clubes elegem empresas que terão direitos internacionais do Brasileiro

Série B terá participação nos lucros da venda dos direitos internacionais - Foto: João Vitor Rezende

Em reunião realizada por teleconferência, clubes de Série A e B do Campeonato Brasileiro concluiram a primeira fase do processo de seleção das empresas que farão a exploração dos direitos internacionais do Campeonato Brasileiro. A Confederação Brasileira de Futebol não terá participação econômica no acerto, portanto apenas os clubes participaram da votação.

Conforme divulgado pela CBF em nota oficial, a Global Sports Rights Management (GSRM) foi escolhida para direitos internacionais em TV aberta, TV fechada, Pay Per View, internet e OTT/streaming. A proposta conjunta das empresas Zeus Sports Marketing e Stats Perform venceu na categoria direitos internacionais para streaming for betting - apostas e dados.

A escolha teria sido baseada em quatro aspectos: formas de distribuição do produto, experiência em projetos desta natureza, sistema de remuneração dos clubes e capacidade de inovação na área tecnológica. O contrato de transmissão no exterior não teve o valor divulgado, mas tem duração de quatro anos - 2020, 2021, 2022 e 2023.

Segundo a CBF, o processo ainda não está concluído - na segunda fase, as empresas selecionadas passarão por validação do escopo de trabalho, atendimento às normas de governança e conformidade, apresentação das garantias financeiras e formalização dos instrumentos contratuais.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!