Gersinho compara características dos adversários da sequência fora de casa

Em um dos jogos, treinador deve apostar em formação com três no ataque

Gersinho compara características dos adversários da sequência fora de casa

Depois de vencer a Ponte Preta, o técnico Gerson Gusmão tem semana cheia e se prepara para dois jogos seguidos sem o mando - Foto: João Vitor Rezende

PublicidadeNEC

Neste domingo (22), o Operário Ferroviário viaja para uma sequência de dois jogos fora de casa. Na terça-feira (24), encara o Botafogo-SP. Em seguida, viaja para o Recife e joga contra o Sport no sábado (28). O time só retorna a Ponta Grossa no dia 29 de setembro. 

Para melhorar como visitante, o elenco quer ao menos uma vitória. Segundo o técnico Gerson Gusmão, é preferível que o time saia derrotado de uma das partidas do que consiga dois empates, por exemplo. “A gente nunca vai deixar de agradecer os pontos conquistados mas é preferível vencer uma e perder outra. Se voltarmos com três ou quatro pontos voltamos em uma condição muito boa”, afirma Gerson Gusmão. 

Para alcançar o objetivo, o elenco mentaliza vitória já contra o Botafogo. Gersinho vê características diferentes nas duas equipes que enfrentará nos próximos dias e, em entrevista coletiva, adiantou que pretende apostar em uma formação de três atacantes em uma dos jogos.

“O Botafogo começou muito bem a competição, depois teve uma oscilação. É muito forte fisicamente, tem um jogo de contato, um jogo de força. O Sport é uma equipe muito rápida, de velocidade. São dois jogos dificílimos mas precisamos pontuar e vamos batalhar para voltar com o maior número de pontos possível”, destaca o comandante. 

Além de buscar os resultados positivos, Gersinho quer que o time aproveite as criações, marque ao menos um gol por jogo e tome o mínimo de gols possível. Com saldo igual a -4, o Operário precisa evoluir em gols marcados. 

“A gente tem que entender que nos vamos enfrentar equipes que também tem o mesmo objetivo do Operário. As duas estão na nossa frente hoje. Precisamos saber que são confrontos de equipes que também estão brigando, muito próximas, e todo ponto é importante. A primeira coisa é não dar tantas chances ao adversário. Chances de gol vão ter, mas não ocasionadas de erros nossos, erros individuais”, crava Gersinho.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!