Fábio Sampaio, técnico do PG Vôlei, avalia desempenho na Superliga

O time ponta-grossense ainda ocupa última colocação na competição nacional

Fábio Sampaio, técnico do PG Vôlei, avalia desempenho na Superliga

O Ponta Grossa Vôlei tem quatro jogos para buscar a permanência na competição - Foto: Amanda Dombrowski

PublicidadeNEC

Após 18 jogos na Superliga de Voleibol Masculino e apenas oito pontos conquistados, o Ponta Grossa Vôlei ocupa a última posição no campeonato. Os ponta-grossenses tem mais quatro partidas para buscar a permanência na divisão A da competição. 

Para o treinador da equipe, Fábio Sampaio, estar nessa colocação prejudica o emocional da equipe. “Onde a gente se encontra na tabela, em último, é sempre muito pesado estar jogando. A preparação técnica e física aqui vai andando, mas a psicológica sempre vai nos abafar”, comenta. 

Ele aponta ainda que o desempenho insatisfatório da equipe acontece, principalmente, pela forma como ocorreu a montagem do time. “Tendo em vista que a gente começou a se preparar com 7 dias antes da Superliga, a gente montou um grupo correndo. Se a gente tivesse um pouco mais de tempo, as coisas seriam mais fáceis”, explica.  

Mesmo com a dificuldade que a equipe tem encontrado durante a competição e com confrontos difíceis pela frente, Sampaio afirma que a equipe trabalha com a maior dedicação possível para alcançar o objetivo de permanecer na elite do vôlei nacional.

 “A situação do Ponta Grossa é muito complicada, para se manter na Superliga é preciso vencer alguns jogos e nós só temos adversários extremamente difíceis, com peças de seleção brasileira, campeões olímpicos e mundiais. É muito difícil para o Ponta Grossa, mas a gente vai trabalhar com muito afinco, muita dedicação para manter Ponta Grossa na divisão de elite do voleibol nacional.” 

Compartilhe essa notícia com seus amigos!