Trump participou de uma audiência a portas fechadas no caso de documentos confidenciais da Flórida

Cannon realizou duas audiências separadas a portas fechadas na segunda-feira, como parte de um processo envolvendo evidências confidenciais relacionadas ao caso de documentos federais confidenciais de Trump na Flórida.

As autoridades alegam que o ex-presidente manteve documentos contendo segredos de segurança nacional em sua casa na Flórida, em Mar-a-Lago, depois de deixar o cargo e bloqueou uma investigação federal sobre como esses registros ficaram fora dos canais estritos para lidar com tais informações.

Como parte desse processo, Cannon agendou uma audiência de quatro horas e meia na segunda-feira com a equipe jurídica de Trump, onde ele e os advogados de seus dois co-réus – fora da presença de advogados – deveriam apresentar teorias que a defesa poderia usar. Em julgamento.

Esperava-se que os advogados de defesa explicassem a Cannon por que deveriam ter acesso a vários tipos de provas confidenciais que poderiam apoiar essa defesa.

Trump não foi obrigado a comparecer à audiência de segunda-feira, mas optou por fazê-lo de qualquer maneira – continuando a tendência recente do seu papel de aparecer em processos judiciais numa aparente tentativa de destacar as suas alegações de assédio. Foi a primeira vez que ele se encontrou cara a cara com Cannon, cuja nomeação para a bancada foi confirmada dias após a eleição de 2020. Até agora, Trump não compareceu perante os juízes que presidem os seus processos criminais federais.

As reuniões acontecem em meio a reclamações crescentes dos promotores sobre as ações de Cannon no caso. Nos autos, alertaram o juiz que estariam em risco se a recente decisão de divulgar as identidades das testemunhas do julgamento não fosse anulada. Eles também usaram um documento recente para dissipar o que disseram ser uma versão distorcida de eventos que, segundo eles, corriam o risco de enraizar sem resistência.

READ  Andre Braugher, ator de 'Brooklyn Nine-Nine' e 'Homicide', morre aos 61 anos

Cannon também deveria realizar uma sessão de duas horas com promotores na presença da equipe jurídica de Trump na segunda-feira. O debate incluirá as potenciais consequências de fornecer a Trump e aos seus co-réus as provas que procuram, bem como as chamadas substituições de algumas das provas – como a supressão dos nomes de certos países ou dos detalhes de algumas fontes importantes de inteligência. . Será suficiente que os arguidos transmitam as suas opiniões ao tribunal.

Cannon pediu a ambas as partes que mantivessem suas agendas abertas para terça-feira se precisassem de mais tempo para trabalhar nas questões de evidências confidenciais.

Devido à natureza das discussões, elas devem ocorrer em local autorizado a discutir certos segredos sensíveis de segurança nacional controlados pelo governo dos EUA. A necessidade de acesso a informações altamente sensíveis complicou e atrasou alguns dos procedimentos anteriores neste caso.

O tribunal federal de Fort Pierce, com dois tribunais, parece agora ter aprovado tais audiências, embora não esteja claro se a designação permitiria ao juiz permanecer no tribunal como permanente ou se é temporário. Sessões judiciais semanais.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *