UE aprova 10ª rodada de sanções contra a Rússia por causa da guerra na Ucrânia | Notícias da Guerra Rússia-Ucrânia

As sanções da UE são projetadas para tornar mais difícil para a Rússia financiar a guerra, além de privá-la de equipamentos tecnológicos e peças sobressalentes.

A União Europeia aprovou uma décima rodada de sanções contra a Rússia, disseram autoridades da UE, no aniversário de um ano da invasão em grande escala de Moscou à Ucrânia.

A última rodada de sanções prevê restrições comerciais adicionais à Rússia, anunciou a presidência sueca do Conselho da UE em Bruxelas na noite de sexta-feira, e foi projetada para tornar o financiamento da guerra mais difícil. Ucrânia.

O pacote inclui controles mais rígidos de exportação de itens de uso duplo e medidas contra empresas que apóiam a guerra da Rússia, fazem propaganda em apoio à invasão e fornecem drones usados ​​pela Rússia para atacar a Ucrânia.

“Juntos, os Estados membros da UE impuseram as sanções econômicas mais fortes e abrangentes para vencer a guerra na Ucrânia”, anunciou a liderança da UE no Twitter.

“A UE está unida à Ucrânia e ao povo ucraniano. Apoiaremos a Ucrânia, por mais tempo que demore.

As medidas visam colocar na lista negra mais pessoas que o Ocidente diz serem propagandistas russos, incluindo os responsáveis ​​pela deportação de crianças ucranianas para a Rússia e os envolvidos na produção de drones iranianos implantados na linha de frente da guerra.

O pacote foi projetado para cortar vários bancos russos, incluindo o privado Alfa-Bank e o banco online Tinkoff, do sistema global SWIFT e cortar o comércio entre a UE e a Rússia em 10 bilhões de euros (US$ 10,5 bilhões). Administrador do bloco.

READ  Mais reféns libertados à medida que o prazo do cessar-fogo Israel-Hamas se aproxima: atualizações ao vivo

Faltando apenas duas horas para a meia-noite de sexta-feira, os negociadores dos estados membros da UE chegaram a uma conclusão depois de jogar uma chave inglesa nos trabalhos antes de concordar com as sanções.

Varsóvia disse que as restrições propostas às importações de borracha russa da UE cobririam uma grande cota de importações e incluiriam longos períodos de transição que não teriam efeito prático.

Outros países da UE correm o risco de não anunciar novas sanções no aniversário de um ano do ataque da Rússia à Ucrânia contra Varsóvia – um dos principais falcões da Rússia neste campo – como um elemento de um pacote mais amplo.

Todos os estados membros devem concordar em implementar sanções, e as negociações entre os 27 países costumam ser difíceis e demoradas.

“É uma ótica muito ruim. Neste dia especial, a mensagem de solidariedade com a Ucrânia deve ser a chave aqui”, disse um diplomata envolvido em negociações secretas entre os 27 países da UE.

Na sexta-feira, o primeiro-ministro ucraniano, Denys Shmyhal, posou em frente a quatro tanques Panther fornecidos pela Polônia e divulgou uma série de fotos marcando a rendição de sua nação devastada pela guerra, um ano após a invasão.

Schmihal posou com o primeiro-ministro polonês Mateusz Morawiecki para fotos publicadas no Telegram.

“Um ano atrás, tanques entraram na Ucrânia para tirar a liberdade dos ucranianos”, disse Schmihal. “Hoje, os tanques também entraram na Ucrânia, mas para defender a liberdade.”

Polônia entrega 14 tanques Leopard A2 à Ucrânia Morawiecki também disse que 60 tanques de guerra PT-91 serão entregues depois de terem sido prometidos em janeiro.

O PT-91 Twardy é um veículo de combate polonês baseado no tanque soviético T-72, mas melhorado e modernizado.

READ  Assista à apresentação de 'I'm Just Ken' de Ryan Gosling no Oscar de 2024

Mais cedo, o ministro da Defesa polonês, Mariusz Blaszczak, disse que os soldados ucranianos seriam treinados por instrutores poloneses, canadenses e noruegueses no centro de treinamento Leopard, no oeste da Polônia.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *