Operário já conta com o retorno do calendário de jogos no mês de maio

Clubes dividem opinião entre os que querem ou não a sequência do Estadual

Operário já conta com o retorno do calendário de jogos no mês de maio

Operário sobre retorno dos jogos em maio: 'vão voltar, com certeza' - Foto: João Vitor Rezende

PublicidadeNEC

O Operário Ferroviário concedeu férias coletivas a jogadores e funcionários até 20 de abril. Neste tempo, o clube tem participado de reuniões com outros times que jogam a Série A e B do Campeonato Brasileiro. Mesmo sem expor as deliberações, a diretoria do alvinegro já conta com o retorno dos jogos no mês de maio. 

"Vão voltar [em maio], com certeza", afirma o presidente do Grupo Gestor do Operário, Álvaro Góes. Segundo ele, segue indefinido o calendário detalhado em datas e se os jogos acontecerão de portões abertos ou fechados, mas os campeonatos estariam praticamente garantidos no mês de maio. 

Os times que vão disputar as Séries A e B do Brasileiro precisam, antes disso, terminar seus compromissos pelos campeonatos estaduais. Se o Paranaense fosse encerrado no 1º turno, o Operário ficaria em quarto lugar e os times do estado teriam mais tempo até que fossem expostos aos jogos. O Operário porém, segundo Góes, quer que a segunda fase aconteça. 

Por outro lado, o Cianorte, rival do alvinegro nas quartas de final, reafirma convicto seu posicionamento a favor do encerramento do Paranaense na classificação da primeira fase. O presidente Lucas Franzato acredita que o estado do Paraná tem a oportunidade de sair na frente dos outros estados, por já ter sido encerrado o primeiro turno da competição e o rebaixamento já estar definido. Franzato ainda destaca outro ponto: há pesquisas que afirmam que o quadro da doença ainda tende a piorar. "Vai ter que ter diálogo", disse em áudio repassado pela assessoria do clube. 

O presidente do FC Cascavel, time vice-líder no 1º turno, Valdinei Silva, também é contrário à realização da 2º fase. “A crise de saúde ainda não acabou e a crise econômica mal começou. Entendemos que para o Paranaense o correto é a finalização. O Paranaense é o único que poderia parar e declarar campeão e rebaixados com muita tranquilidade. Os rebaixados foram rebaixados dentro de campo e quem fez a melhor campanha fez em campo. Nós defendemos isso, mas vamos conversar com os demais parceiros, os oito clubes classificados", explica.

O Coritiba, que terminou a primeira fase em 1º lugar, prefere que as quartas, semis e final aconteçam. "A posição do Coritiba é muito clara. Um eventual retorno do Paranaense não pode prejudicar o calendário das competições mais importantes. Se tivermos data e o calendário assim permitir, é evidente que o Coritiba quer que o Campeonato Paranaense retorne para ser decidido no campo. Se for possível, é claro que o Paranaense tem que retornar e ser finalizado", afirma o presidente Samir Namur.

O gestor do Londrina, Sérgio Malucelli, vai defender o encerramento do campeonato. "Não tem mais clima para continuar. Alguns times tem contratos vencendo de jogadores, como nosso caso, e não nos interessa renovar, então não teríamos o time que estava inscrito no estadual para continuarmos", disse ao Net Esporte Clube.

O Rio Branco, por meio da assessoria, informou que conversará sobre o assunto diretamente com o Presidente da FPF, quando a instituição voltar a funcionar. O clube dispensou técnico e jogadores no iniciar a paralisação. Athletico Paranaense e Paraná Clube também foram procurados, mas a equipe NEC não obteve retorno de seus representantes até o fechamento desta reportagem. A Federação Paranaense de Futebol (FPF) está em férias coletivas e volta às atividades na próxima segunda-feira, 13 de abril.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!