Starbucks demite organizadora sindical Lexi Rizzo após interrogatório no Senado por Howard Schultz

A Starbucks demitiu um organizador sindical de longa data dois dias depois que o ex-CEO bilionário Howard Schultz foi interrogado em uma audiência do comitê do Senado sobre a campanha ilegal da empresa contra sindicatos.

Lexi Rizzo liderou a campanha em uma Starbucks em Buffalo, uma das primeiras a realizar um referendo sindical bem-sucedido, iniciando um movimento que se espalhou por todo o país e incluiu milhares de trabalhadores da Starbucks.

Rizzo – que trabalhou para a empresa por sete anos, A GoFundMe– O supervisor do turno de sexta-feira foi demitido, de acordo com Buffalo News.

A Starbucks disse à loja que Rizzo foi contratado por se atrasar para o trabalho em várias ocasiões. O sindicato, Starbucks Workers United, chamou a demissão de Rizzo de “a pior retaliação”. Dois outros funcionários pró-sindicato também foram demitidos, disse o sindicato.

“Eu dei tudo o que tenho para esta organização”, disse Rizzo em um vídeo emocionante postado no TikTok, acrescentando: “Meu coração está partido”.

Rizzo mirou em Schultz quando ele compareceu ao Comitê de Saúde, Educação, Trabalho e Pensões (AID) do Senado na última quarta-feira.

“Você é um monstro sem coração, não sei como consegue dormir à noite”, disse ele sobre Schultz, “você dá a centenas de milhares de pessoas tudo o que elas têm para ganhar mais um dólar. E então você nos trata como lixo .

Senadores democratas confrontaram Schultz na semana passada sobre oito decisões de juízes administrativos do Conselho Nacional de Relações Trabalhistas (NLRB) de que a Starbucks havia cometido 130 violações da lei trabalhista desde o início da campanha sindical em Buffalo, em dezembro de 2021. Schultz negou que a empresa infringiu a lei.

READ  Carolyn Hawkes: Como impedir visitas de última hora de pais idosos?

No mês passado, um juiz administrativo do NLRB concluiu que a Starbucks cometeu violações “extremamente generalizadas” da lei trabalhista quando demitiu seis trabalhadores pró-sindicatos em Buffalo e Rochester. A empresa foi condenada a contratar e indenizar os trabalhadores.

“A Starbucks empreendeu a campanha mais agressiva e ilegal contra sindicatos na história moderna de nossa nação”, o senador Bernie Sanders (I-VT) abriu a audiência. “Aquela campanha contra sindicatos foi liderada por Howard Schultz.”

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *